Parque da Mônica anuncia parceria com AACD e inova com ações inclusivas

0
15223
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na vertical. Nela, o cartunista Maurício de Sousa está acompanhado dos personagens da Turma da Mônica. Na ordem, da esquerda para a direita, estão Mônica, Dorinha, que tem deficiência visual, Maurício de Sousa, Luca, que é cadeirante, e Cebolinha. Fim da descrição.
Maurício de Sousa com seus personagens durante a abertura da Semana de Valorização da Pessoa com Deficiência, em Brasília (Foto: Geraldo Magela / Agência Senado)

Na quinta-feira, 29/06, o Parque da Mônica, em São Paulo (SP), promoveu um evento para apresentar novas ações de inclusão e acessibilidade, além de anunciar parceria com a AACD, que vai gerar recursos para a associação, que é referência no atendimento em reabilitação de pessoas com deficiência.

A partir de agora, quem visitar o parque, será convidado a doar dois reais à instituição, no momento da compra dos ingressos na bilheteria. Com isso, o parque inova ao estabelecer uma forma alternativa de captação de recursos para a instituição, que receberá o valor arrecadado de forma integral.

Presente no evento, o criador da Turma da Mônica, Maurício de Sousa, falou sobre a importância da inclusão em seus projetos. “Estou envolvido de forma mais direta com a criação das histórias, promovendo a inclusão de forma natural, e na criação dos personagens com deficiência, mas, também é importante e apoio todo tipo de ação que promova a acessibilidade. Estou muito feliz com essa parceria porque AACD faz um trabalho tão bonito e que todos admiram essa instituição, com quem sempre colaboramos e eu realmente sentia que faltava uma ligação mais efetiva e com resultados financeiros”, explica o cartunista.

Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Nela, estão todos os participantes do evento. Fim da descrição.
Evento reuniu representantes do Parque da Mônica e da AACD (Foto: Bianca Ponte)

Já o diretor executivo do Parque da Mônica, Marcelo Beraldo, destacou as parcerias com instituições, que resultaram em um grande projeto de adaptações. “O que comemoramos hoje, foi iniciado há algum tempo, quando nosso comitê de acessibilidade iniciou novas discussões para definir a questão da inclusão de pessoas com deficiência no parque. E, para ampliar esse leque de atendimentos, buscamos conhecimento técnico da AACD, da Fundação Dorina Nowill de Cegos e da APAE, que juntas analisaram nossos equipamentos para ampliar e melhorar o atendimento de pessoas com deficiência e incluir ainda mais.”

De acordo com a fisiatra Alice Ramos, superintendente clínica da AACD, que participou de forma ativa do processo de adaptação do parque, este é um momento muito importante pela inclusão. “Vivemos hoje algo maravilhoso e preciso agradecer a parceria com a Fundação Dorina e com a APAE, que garantiram a acessibilidade de todos. É assim que promovemos a inclusão de nossos pacientes na sociedade e que também ensinamos a todos o respeito à diversidade”, concluiu.

O evento contou ainda com a presença do CEO do Grupo São Joaquim, Marcelo Kheirallah, do superintendente de Marketing e Captação da AACD, Celso Pinheiro, da deputada estadual Célia Leão (PSDB-SP), e do secretário adjunto da Secretaria Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Luiz Carlos Lopes.

 

Mônica azul

Para celebrar a parceria, foi realizada a estreia da peça ‘Mônica azul’. Com direção de Mauro Sousa, a montagem aborda temas como inclusão e diversidade, que estão sempre presentes no parque. “Queremos trabalhar cada vez mais para acabar com o preconceito e pela inclusão social”, garante Mauro.

 

Aproveitamos a ocasião para bater um papo com o cartunista Maurício de Sousa. Confira os principais trechos a seguir!

Sobre a relação com a AACD…

Estou muito feliz com essa parceria porque AACD faz um trabalho tão bonito e que todos admiram. Nós sempre colaboramos com eles e eu realmente sentia que faltava uma ligação mais efetiva e com resultados financeiros. Então o pessoal do Grupo São Joaquim, que é responsável pela direção do parque, me consultou sobre a possibilidade de fazer essa parceria e fiquei muito feliz porque todos que vierem ao parque poderão colaborar com a instituição.

 

Envolvimento com causas inclusivas…

Estou envolvido de forma mais direta com a criação das histórias, promovendo a inclusão de forma natural, e na criação dos personagens com deficiência, mas, também é importante e assino em baixo sempre que surgem ações como esta, que promovam a acessibilidade.

 

A Turma da Mônica e a inclusão…

Sempre que sinto a necessidade de criar um novo personagem eu estudo muito e procuro me envolver com pessoas ligadas ao meio. Tenho inclusive alguns casos muito interessantes em que as crianças com autismo começaram a se comunicar com familiares com mais facilidade, e os personagens servem de referência para as crianças e alguns acabam saindo de seu mundo e começam a se comunicar com mais facilidade. Tem um caso que é de um garotinho que se encantou com o Chico Bento e queria ser igual, inclusive falava em caipirês, e com isso ele foi se comunicando cada vez mais com a família, e tem também outra história interessante, de uma menina que mora na Rocinha, no Rio de Janeiro, que começou a imitar a Mônica e queria até se vestir igual. Ela se reconheceu na personagem e isso é muito bacana para compartilhar. Atualmente estou em contato com cientistas do Japão que estão estudando a questão da influência dos personagens da Turma da Mônica junto aos autistas.

Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Nela, o cartunista Maurício de Sousa está acompanhado dos personagens da Turma da Mônica. Na ordem, da esquerda para a direita, estão Mônica, Dorinha, que tem deficiência visual, Maurício de Sousa, Luca, que é cadeirante, e Cebolinha. Fim da descrição.
Maurício de Sousa com seus personagens durante a abertura da Semana de Valorização da Pessoa com Deficiência, em Brasília (Foto: Geraldo Magela / Agência Senado)

Personagens com deficiência…

Temos quatro personagens com deficiência. Mas, todos eles têm participação e estão sempre envolvidos com a inclusão. São eles a Tati, que tem síndrome de Down e foi criada em homenagem à Tathi Heiderich, filha de Patrícia e Fernando Heiderich, coordenadores do Instituto MetaSocial; o Luca, um garoto cadeirante, que foi apelidado carinhosamente pelos novos amiguinhos de ‘Da Roda’ e ‘Paralaminha’, por ser muito fã do cantor Herbert Vianna e da banda Paralamas do Sucesso; Dorinha, que tem deficiência visual e foi criada em homenagem à Dorina Nowill; e André, um menino de aproximadamente quatro anos, que tem autismo.

 

O Parque da Mônica fica no Shopping SP Market (Avenida Nações Unidas, 22540 – Jurubatuba – São Paulo – SP). Confira os dias e horários de funcionamento no site!

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here